• Daniel Renattini

Os padrinhos literários


Até hoje jamais conheci algum autor que não tenha um herói ou uma heroína. E não me refiro aos que estão dentro das páginas dos livros ou nas telas dos cinemas, mas sim aos heróis da vida real, os quais nos inspiramos para sermos escritores ou até mesmo pessoas melhores.


Eu prefiro chamá-los de padrinhos literários.


Isso começou na FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty) de 2018, quando Janayna Bianchi (autora de Lobo de Rua), Ian Fraser (autor de Araruama) e eu estávamos conversando. A conversa foi mais ou menos assim:


– Samir Machado de Machado... Quero chegar onde ele chegou. E percebi que ele é igual a nós. Gente da gente, sabe? – disse Ian, sobre o autor de Tupinilândia, enquanto entoava mentalmente seus batuques ancestrais de Araruama.


– Ah, gente, pra mim, o meu escritor referência é o Eric (Novello) – falou Jana, com a alegria de um lobisomem italiano ao uivar para a lua cheia.


– Pô, se é assim, vou falar do meu padrinho literário também! – falei, quase invocando chamas nas pontas dos dedos. – Pra mim é o Felipe (Castilho).


Nós três trocamos olhares e rimos. A partir daí, parece que foi criada a Síndrome do Padrinho. Fomos contando sobre essa conversa para o resto do pessoal durante a FLIP. E o que aconteceu? Mais pessoas “adotaram” padrinhos – ainda sem o consentimento dos respectivos, devo dizer.


Não posso dizer que no meio literário sempre é assim, mas pelo menos Jana, Ian e eu escolhemos nossos padrinhos não apenas por serem bons escritores (e que escritores!), mas porque são pessoas que, de uma forma ou de outra, conseguiram e conseguem nos inspirar a sermos melhores. Não melhores do que eles, mas melhores do que somos agora. Esse sentimento é o que nos empurra a sermos os melhores escritores que pudermos ser.


Claro que as pessoas podem ter mais de um padrinho literário (eu acho). Cada uma das pessoas que conheci no meio literário (não falando apenas de escritores) me ensinou alguma coisa e com certeza continuarão me ensinando.


Sabe aquela história que se inicia com uma pequena aliança e, ao longo da narrativa, novos aliados se juntam ao grupo, acrescentando com suas mais diversas habilidades? É dentro dessa história que eu me sinto.


E, com certeza, essa sempre será uma das minhas histórias preferidas.


Sobre os autores mencionados:


Eric Novello é autor de Exorcismos, amores e uma dose de blues e de Ninguém Nasce Herói.

Felipe Castilho é autor da série O Legado Folclórico, da distopia Ordem Vermelha - Filhos da Degradação e das HQs Desafiadores do Destino e Savana de Pedra.

Ian Fraser é autor de Araruama - O Livro das Sementes e Araruama - O Livro das Raízes, ambos projetos bem sucedidos no Catarse.

Jana Bianchi é autora da fantasia urbana Lobo de Rua, editora da revista Mafagafo e co-host do podcast Curta Ficção.

Samir Machado de Machado é autor de Quatro Soldados, Homens Elegantes e Tupinilândia.

51 visualizações
  • Twitter - Daniel Renattini
  • Facebook - Daniel Renattini
  • Instagram - Daniel Renattini

©2018 by danielrenattini. Proudly created with Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now